19 de mai de 2010

Muitos são os títulos com os quais a Igreja louva a Virgem Maria. Muitos também são os títulos com que os povos no mundo inteiro aplicam a Maria, como forma de amor e carinho, e no desejo de enaltecê-la sempre mais.

Todos eles alimentam a nossa devoção, fazendo-nos pensar na grandeza e na dignidade da Mãe de Deus. Muitos títulos de Maria se referem a momentos da sua vida, como por exemplo, o de Nossa Senhora da Conceição, quando nos referimos a Ela que foi concebida Imaculada, pura, enriquecida de privilégios por Deus, em razão da sua maternidade Divina. Maria é chamada pelo nome do lugar onde Ela apareceu. Por exemplo: Nossa Senhora de Lourdes, de Fátima, Aparecida, etc. Outros títulos significam proteção, socorro, consolo e assim por diante. Entretanto, os títulos são muitos, mas uma só é a Virgem Maria.

O povo cristão deseja honrá-la como Jesus Cristo a honrou como filho, pois por sua vontade na cruz Ela nos foi dada também como Mãe, mediante suas palavras: "Eis aí teu Filho". Embora sejamos muitos, Maria está atenta às nossas necessidades, e lembra sempre à cada um: "Fazei tudo o que Jesus Vos disse". Qual deverá ser então a nossa atitude para com a Virgem Maria? A Igreja nos ensina: devemos "elevar nossos olhos a Maria que refulge para toda a comunidade dos eleitos como exemplo de virtudes" (LG. 65). Devemos também ter para com Ela uma verdadeira devoção que "não consiste num estéril e transitório afeto, nem numa certa vã credulidade, mas que procede da fé verdadeira, pela qual somos levados a reconhecer a excelência da Mãe de Deus, excitados a um amor filial para com nossa Mãe e à imitação de suas virtudes".

A Virgem Maria a quem veneramos com muito amor, nos aponta sempre para Deus para que o adoremos e para vivermos o mandamento maior do amor com nossos irmãos e irmãs!